Logomarca Elo Internet

Usuários



E-mail: Senha:

-

Fale Conosco

Tábua de Marés

Dólar - Cotações

Dólar EUA - 14/09

Compra: R$ 2,3276
Venda: R$ 2,3282

Dólar EUA (PTAX) - 14/09

Compra: R$ 2,3244
Venda: R$ 2,3251

Blogs Parceiros

Greve dos rodoviários é declarada ilegal e abusiva pelo TRT

Multa pelo descumprimento da determinação de retorno ao trabalho aumenta para R$ 100 mil.

No fim da tarde de quarta-feira, 25, terceiro dia da greve de motoristas e cobradores de ônibus em São Luís, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho, desembargadora Márcia Andréa Farias da Silva, decretou a ilegalidade da greve e determinou novas contratações, caso os rodoviários não retornem ao trabalho.

Veja a nota na íntegra:

A presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, desembargadora Márcia Andrea Farias da Silva, declarou nesta quarta-feira (25) a ilegalidade e abusividade da greve do Sindicato dos Trabalhadores nos Transportes Rodoviários de São Luís (STTR). A presidente também determinou aos trabalhadores o imediato retorno ao trabalho, ainda hoje (25), devendo as empresas convocar todos os seus empregados para retomarem as atividades, sob pena de caracterização de falta injustificada ao serviço. Determinou ainda a contratação de novos trabalhadores, caso haja recusa dos trabalhadores quanto ao retorno ao trabalho. A multa de R$ 50 mil pelo descumprimento da determinação judicial foi majorada para R$ 100 mil.

 

Esclarecimentos sobre as negociações

 

Em outra nota, publicada antes da declaração de ilegalidade e abusividade da greve, o TRT informou à população os últimos acontecimentos referentes às negociações entre o Sindicato dos Rodoviários e o Sindicato das Empresas.

Segundo o texto, há dificuldade de acordo entre os dois lados e uma tentativa de transferir à Justiça do Trabalho a responsabilidade por eventuais reajustes das passagens de ônibus.

Veja a íntegra da nota:

NOTA OFICIAL

 

O Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, em respeito à população, vem a público esclarecer os últimos acontecimentos referentes à negociação coletiva entre patrões e empregados do setor de transportes:

1. Há clara recusa de ambos os sindicatos - do Sindicato dos Trabalhadores nos Transportes Rodoviários de São Luís (STTR) e Sindicato das Empresas de Transportes de São Luís (SET) em celebrar a composição para que chegue ao fim a greve do transporte rodoviário.

2. Há um firme propósito de manter cada um dos sindicatos o índice de reajuste que inviabiliza qualquer negociação como se pôde comprovar em audiência realizada na sede do Tribunal Regional do Trabalho na última segunda-feira (23). As empresas não avançaram além dos 3%, enquanto que o sindicato dos trabalhadores manteve-se irredutível no índice de 13%, conforme registrado em ata de audiência.

3. Diante do impasse, o TRT decidiu por manter em funcionamento 80% da frota. Observou a Justiça do Trabalho o direito de ir e vir da população, procurando resguardar os usuários do transporte coletivo de abusos praticados com a não circulação da frota de ônibus.

4. Ainda na tentativa de por fim ao conflito e resguardar o direito da população, o TRT decidiu um reajuste linear no salário e no tíquete-alimentação de 8,30%. Exemplificando o salário de um motorista chegará a R$ 1.534,47. Em outras capitais, nas quais as tarifas tiveram reajuste este ano, o percentual de reajuste aplicado foi menor. É o caso de Aracaju (reajuste de 6%/ salário de R$ 1.395), Belém (reajuste de 7%/salário R$ 1456) e Teresina (reajuste de 8,30%/salário R$ 1.428,66).

6. Pretender que o Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão fixe percentual de reajuste além do aceitável quer representar imputar à Justiça do Trabalho a responsabilidade por futuros pedidos de aumento de passagem por parte da classe empresarial sob a justificativa de ser necessário o repasse para a tarifa do reajuste concedido, causando um grave prejuízo à população e a outros setores da economia, como indústria e comércio. Há, portanto, uma clara e induvidosa tentativa de transferir para o TRT-MA eventual reajuste de tarifa.

7. A Justiça do Trabalho não expediu mandado de prisão contra o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Transportes Rodoviários de São Luís (STTR). A competência para apurar crime de desobediência à ordem judicial é da Justiça Federal. Como é público e notório a suspensão total dos serviços, conforme informado pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte, a evidência de tais fatos foi comunicada à Polícia Federal para que seja apurado.

8. A Justiça do Trabalho existe para pacificar os conflitos entre patrões e empregados, mas suas decisões devem respeitar, em primeiro lugar, o direito da população aos serviços essenciais.

 

Com informações do Serviço de Comunicação Social do TRT-MA



Comentários sobre Greve dos rodoviários é declarada ilegal e abusiva pelo TRT

Selma Nascimento

Empresaria - MA
Essa greve se tornou uma mulecagem daquelas, isso é só jogada politica, na verdade quem sai perdendo é é a população que precisa utilizar o transporte coletivo. sem conforto, superlotados e quebra no percurso As autoridades deveriam ter mais respeito pela população, pagar um salário Justo aos motoristas e cobradores quem trabalham, e não a quem somente assina ponto ou nem isso faz e recebe valores absurdos. Estou indignada com essa situaççao,
 

Comentar

Nome:



Profissão:



E-mail:



Estado:



Comentário:



Digite os caracteres abaixo









Siga-nos pelo Orkut Siga-nos pelo Twitter

O que você achou dessa página?


Certificações:


CSS3 Validado

Dia da Cruz | Dia do Frevo